Para montar a sua programação siga estes passos:

1 - Clique no botão Settings

2 - Na janela azul que se abrir clique em Change Stations.

3 - Vai abrir uma nova página. Escolha o país clicando em Select Country.

4 - Agora é só você escolher as cinco estações de sua preferência.

5 - Feche esta página e retorne à janela azul.

6 - Marque a opção Remember play mode on refresh?.

7 - Finalmente, clique em Save.

3 de abr de 2008

TREINE SEU INGLÊS COM ESTE JOGO DA FORCA

22 de dez de 2007

Quer se simptonizar?

Faça seu retrato "simptonizado" e divirta-se no site http://simpsonizeme.com/


Esta sou eu com minha gata Dothy.

17 de set de 2007

Interactive webRadio



Musicovery



Escolha o gênero, a década e divirta-se!



http://musicovery.com/

30 de ago de 2007

Gmail: um vídeo dos bastidores

Veja o resultado do vídeo colaborativo sobre o Gmail proposto pelo Google :


"Assista ao vídeo colaborativo final

Pedimos que nos ajudasse a imaginar como uma mensagem de e-mail viaja pelo mundo. Tudo o que precisava era de uma câmera, do envelope com um M do Gmail ( ) e de um pouco de criatividade — e, puxa, você realmente foi criativo!
Os clips que você enviou eram incríveis e foi difícil fazer as seleções para o vídeo final apresentado aqui. Você pode
verificar tudo que recebemos no YouTube. Divirta-se!"

Fonte:Google



TOP Blogs de Língua Portuguesa





by Obvius: Detalhes do top de língua Portuguesa
A elaboração deste TOP teve como pressuposto a divisão das amostras em duas comunidades - Brasileira e Portuguesa. Estão considerados cerca de 2000 blogs sendo a divisão feita da seguinte forma:
Para a comunidade Brasileira, considerou-se o ranking disponibilizado pelo BlogBlogs, com mais algumas inclusões que foram retiradas do ranking do
Edney.
Para a comunidade portuguesa, teve-se por base a lista já efectuada pelo
Blogómetro e através de crawling aos blogs, identificando links para outros blogs. Assumiu-se que a probabilidade de encontrar links para blogs brasileiros a partir de blogs portugueses (e vice-versa) era baixa. Adicionalmente a Maria João Nogueira forneceu-me uma lista de blogs portugueses do SAPO.

Para os blogs que não estejam listados e que decidam participar neste ranking, basta que enviem um email para
obvious.rank@gmail.com

28 de ago de 2007

Blog oficial do Google no Brasil



O Blog do Google reúne informaçõe sobre os mais diversos serviços oferecidos pela empresa com ótimas dicas de otimização. Vale conferir e adicionar aos favoritos.

http://googleblog.blohspot.com/

31 de jul de 2007

Prêmio Blogs com Tomates

Dicas da Aninha também já recebeu uma tomatada. Foi indicado pela amiga blogueira Andréa Toledo de Cataguases, MG. :-)
A brincadeira foi iniciada pela blogueira Brit.com com o propósito de revelar pessoas que lutam pelos direitos fundamentais do ser humano. Cada premiado deve escolher mais cinco blogs e indicá-los, reforçando assim a rede de blogs.

Então aí vão os indicados da Aninha:

Educação Inovadora-Moran - Prof. José Manuel Moran

Oficina de Projetos - Prof. Vicente Risi Junior

CULTEDUC - Márcia Br.

Educação 2.0 - Prof. Jordons Francisco

Sergio Blog 2.3 -Prof. Sérgio Lima

Agradeço também as tomatadas em meus outros blogs:

Palavra Aberta e Oficina de Educação

11 de jul de 2007

Dicas para um blog de sucesso



Estas dicas foram dadas por Robert & Maryam Scoble durante sua apresentação na Convenção de Negócios para Blogs, em Seatle. A partir de agora não há mais desculpas para não criar um blog atrativo e interessante.

1. Blogue porque você quer blogar .

2. Leia outros blogs – cada pessoa tem um estilo diferente de blogar. Escolha um estilo lendo outros blogs, descubra o que lhe atrai e aprecie a leitura.

3. Escolha um nicho que possa desenvolver (e seja diferente) .

4. Conecte-se a outros blogs.

5. Admita seus erros.

6. Escreva bons títulos.

7. Adicione outras mídias: imagens, sons, vídeos.

8. Tenha voz ativa – blogar exige paixão e autoridade. O que exclui muita gente.

9. Saia da blogosfera, relacione-se com o maior número possível de pessoas.

10. Promova-se.

11. Escreva bem – seja criativo e diferenciado.

12. Exponha-se.

13. Ajude outras pessoas a blogar – compartilhe o que você aprendeu .

14. Mantenha contato com os visitantes – não seja medroso.

15. Mantenha sua integridade – “você é o que aparenta ser” .

http://blog.stewtopia.com/2006/10/27/the-scobles-10-ways-to-a-killer-blog/

7 de jul de 2007

" Web 2.0 significa usar a inteligência coletiva"















O'Reilly é o pai do termo web 2.0


A visão da inteligência artificial está virando realidade, conta Tim O'Reilly. A presença da internet em nossa vida, diz ele, já é muito maior do que pensam alguns desinformados. E não há caminho de volta.

Quando falamos em web 2.0, utilizamos um conceito definido por Tim O'Reilly. Em 2004, o fundador e presidente da editora que leva seu nome deu uma palestra com esse título, na qual discutiu o presente e o futuro da internet. O'Reilly vive e trabalha em Sebastopol, uma pequena cidade a cerca de 80 quilômetros de São Francisco, na Califórnia. Christina Bergmann o visitou para lhe perguntar sobre o futuro da rede mundial.



DW-WORLD.DE:
Mr. O'Reilly, o que é exatamente a web 2.0?



Tim O'Reilly: Web 2.0 significa desenvolver aplicativos que utilizem a rede como uma plataforma. A regra principal é que esses aplicativos devem aprender com seus usuários, ou seja, tornar-se cada vez melhores conforme mais e mais gente os utiliza. Web 2.0 significa usar a inteligência coletiva.



Ou seja, quanto mais gente participar, melhor. Pode-se dizer então que a web 2.0 é uma internet democrática?



Creio que, em princípio, todos os novos mercados tecnológicos são democráticos e abertos. Por isso é que há sempre um grande alvoroço a respeito. Os obstáculos são pequenos, qualquer um pode participar. Mas, conforme o tempo passa, o poder se concentra nas mãos de alguns poucos. Na minha opinião, estamos atualmente nesta fase da internet. Sim, é tudo muito democrático, mas chama a atenção o fato de todos os start-ups interessantes não se tornarem independentes, e sim serem comprados por grandes empresas. Neste sistema, os ricos ficam cada vez mais ricos e cada vez menos democráticos.



Então estamos bem no meio da web 2.0. O que vem depois – a web 3.0?



O nome, naturalmente, pressupõe que depois venha a web 3.0. Mas não estou certo de que a nova onda de inovação tecnológica estará relacionada com a internet. Quando pensamos na maneira como lidamos com o computador, ainda pensamos em sentar à frente de um monitor e digitar coisas num teclado. Mas o computador ficará cada vez mais em segundo plano. A próxima e evidente mudança é que – como muitos já descreveram – equipamentos móveis e telefones celulares servirão de plataforma.



A isso, soma-se o fato de que o reconhecimento da fala se tornará cada vez melhor. Ou de que muitas câmeras fotográficas já vêm equipadas com sistemas de navegação. Ao tirar uma foto, o lugar é automaticamente integrado e passa a fazer parte das informações nela contidas, que você pode então transferir a uma aplicação web 2.0 como o flickr, por exemplo.



De repente, o cérebro global aprende algo que você nem tinha intencionado. A Microsoft apresentou um programa chamado Photosynt. Por enquanto, é apenas uma versão demo, mas este programa é capaz de desenvolver modelos tridimensionais de imagens digitais colocadas lado a lado. Se 10 mil pessoas fotografarem um motivo a partir de diversas perspectivas, todas elas serão então integradas.



Ou seja, algo é criado através de um trabalho comunitário?



Sim, mas as pessoas não sabem que estão criando algo. Elas apenas etiquetaram suas fotos e outra pessoa aproveita isso e junta tudo num modelo 3D. Estamos caminhando em direção à inteligência artificial. Embora ainda seja um ser humano que diga ao programa que operação executar. Mas o exemplo ilustra o que quer dizer inteligência coletiva. Inserimos cada vez mais dados na rede global e há gente que escreve programas para estabelecer novas conexões. É como se aumentassem as sinapses do cérebro coletivo. Acho que podemos esperar por surpresas.



Mas, se as pessoas não sabem o que acontece com seus dados, isso não afeta seu direito a uma esfera privada?



Na minha opinião, o futuro desenvolvimento da web 2.0 ainda trará muitas preocupações no que diz respeito à esfera privada. Mas é preciso entender que as pessoas estão dispostas a trocar sua esfera privada pelos benefícios que isso traz. A internet tem má fama no tangente à esfera privada, mas o que acontece quando você usa seu cartão de crédito? Você também fornece todos os seus dados pessoais e ninguém faz alarde a respeito.



Acredito até que bancos e operadoras de cartões de crédito desenvolverão aplicações de web 2.0. Aí eles poderão dizer quais são os estabelecimentos preferidos, assim como o Google hoje diz quais são as páginas de internet mais visitadas. Hoje eles já sabem, por exemplo, quando um novo restaurante é inaugurado em Berlim ou Bonn, que, no primeiro mês, mil pessoas pagam a conta com cartão de crédito, das quais 500 vieram uma segunda vez. Na web 2.0, esses dados serão então combinados em novas aplicações.



Não é assustador que todos esses dados de cartões de crédito, telefones celulares e da internet sejam combinados? Soa como um livro de George Orwell!



Eu fico dividido. Por um lado, estou muito consciente do aspecto orwelliano e da perda da proteção de dados. Mas também acredito que as pessoas aceitarão a troca. Elas dirão: é ótimo saber, como no nosso exemplo, se outras pessoas aprovam um determinado restaurante. Creio que os valores mudarão. Já é possível observar isso agora.



Quando você avalia que essas mudanças acontecerão?



Isso se dará de forma variada. Para algumas aplicações, levará meses, para outras, anos. Mas é importante reconhecer que não há caminho de volta.



Haverá então duas sociedades – uma com acesso à internet e outra que fica de fora?



Há sempre diferenças graduais no acesso à tecnologia. Quando o PC foi introduzido, havia um grande grupo que tinha e outro que não tinha. Com o tempo, cada vez mais pessoas adquiriram essa tecnologia. A internet se torna cada vez mais onipresente e será acessível pelo telefone e através de outros equipamentos, em versões mais simples. As informações contidas na internet serão acessíveis de diversas formas.



Nós achamos que há bilhões de computadores lá fora – mas isso é mentira. Na verdade, existe apenas um e é disso que se trata na web 2.0. Tudo será conectado com tudo. O que entendemos hoje por computador é, na verdade, apenas um equipamento de acesso ao cérebro eletrônico global que estamos criando.


Christina Bergmann (rr)
Dica da Prof. Fátima Franco para a lista de discussão Blogs Educativos.

31 de mai de 2007

@----Where Do YouTube?----@



Este vídeo foi publicado em 02 de março de 2007 e até hoje já recebeu 789 vídeos respostas e 6010 respostas em texto.

E então, que tal produzir o seu vídeo respondendo a pergunta?

18 de mai de 2007

Quadrinhos online

Dois sites em que é possível trabalhar com quadrinhos on line:


http://www.toondoo.com e http://www.wittycomics.com


Witty Comics














clique sobre a imagem para ampliar


A imagem do cabeçalho deste blog foi feita no Toondoo.

21 de abr de 2007

Web 2.0 song - Are You Blogging This?



Are You Blogging This?

My picture is flickring around technorati
And I just discovered I am such a newb, I'm on YouTube

Are you blogging this?
Delicious myspace then tell me with meebo
Drop my feed into bloglines, I'm so web 2.0

Are you blogging this?
Blogger blummy skobee ditto seekum suckingfish
Auctionmapper frappr zoomr feedwhip blish
Rollyo seekum previewseek swicki wink
Flickr scanr talkr cheapr soonr kitchen sink

All Ourmedia's confusing me
Maybe I need to read a Wikipedia entry
Are you blogging this?
Google froogle blogger SketchUp calculator talk
Code news catalogs academic search
Finance images video alerts
Mobile SMS picasa translate search

1 de abr de 2007

Ferramentas Web 2.0 na educação



A Internet como a conhecemos, com sua imensa variedade de conteúdos disponíveis para consulta, está se transformando e um novo paradigma se apresenta. Se antes, mudar de um site para outro através dos hiperlinks com um simples clique era algo fantástico, agora, de usuários passamos também a produtores de conteúdos. Colaboração é a palavra-chave da chamada Web 2.0 proporcionando ao usuário uma verdadeira democratização de uso da web, em que é possível não apenas acessar o conteúdo, mas também transformá-lo - reorganizando, classificando, compartilhando e, principalmente, possibilitando a aprendizagem cooperativa, o que, segundo Pierre Lévy, vai nos permitir construir uma inteligência coletiva.
O professor deixa então de ser o detentor do saber e transmissor de conteúdos, passando a ser o facilitador, aquele que estimula nos alunos a cultura de divulgar e debater idéias e que não apenas ensina, mas também aprende.
Há vários recursos web 2.0 que o professor pode utilizar para ampliar a capacidade dos alunos de elaborar textos, pesquisar sobre um assunto, emitir opinião e debater com outros usuários. Uma das primeiras ferramentas de Web 2.0 são os blogs.


Blog: Pela facilidade de edição, uma vez que não são necessários conhecimentos técnicos de construção de páginas, os blogs são uma excelente ferramenta educacional que permite a professores e alunos publicarem na Internet textos, narrativas, registros de aprendizado, notícias, poemas, análise de obras literárias, opinião sobre atualidades, relatórios de visitas e excursões de estudos, fotos, desenhos, vídeos e o que mais a imaginação permitir. A partir do sistema de comentários, o visitante é convidado e emitir sua opinião sobre os posts ou publicações, fazendo com que os alunos reflitam mais profundamente sobre os conteúdos, o que favorece o desenvolvimento do pensamento crítico, da reflexão, da leitura e, conseqüentemente, da escrita.
Os blogs podem ser desenvolvidos pelos professores, pelos alunos ou por grupos reunidos em torno de um projeto comum. As publicações são apresentadas em ordem cronológica inversa, assinadas e com a data de publicação, tal como nos antigos diários.



O que são Web widgets?


O termo “widget” segundo o Wikipedia, diz respeito a componentes de interfaces com o usuário (GUI), mas na prática esses componentes aplicados em ambientes desktops tem a característica de elementos flutuantes e com funções específicas. Um bom exemplo é o Yahoo! Widgets Engine, onde você pode encontrar widgets para
previsão do tempo, mural de recados, busca na Web, etc. Aplicados em ambiente Web, esses elementos se apresentam como aplicativos que podem ser embutidos no código HTML e rodam em server-side, usando tecnologia Flash ou Javascript.

Usando Web widgets

Os Web widgets são usados amplamente em blogs e sites pessoais, para fornecer novos recursos, serviços e relacionar conteúdo, como por exemplo quando incluirmos um vídeo do Youtube no post em um blog. Há serviços como o PageFlakes que são totalmente baseados no sistema widgets, oferecendo um ambiente onde temos janelas com funcionalidades diferentes com a possibilidade mudança de conteúdo e posicionamento na tela.

A inserção de alguns widgets são realizados simplesmente relacionando um trecho de código ao do site. Esses elementos oferecem áreas com conteúdos dinâmicos, usados para aumentar a interatividade sem que a pessoa tenha conhecimentos aprofundados em programação e desenvolvimento Web.

Hoje em dia existem muitas empresas que oferecem livremente widgets, sendo para agilizar a utilização de suas ferramentas, para campanhas publicitárias ou simplesmente como utilidade pública. A seguir estão listados endereços para download , inclusão e mais informações sobre widgets:

Spring Widgets: Reúne diversos tipos de widgets e todos muitos bem elaborados;
Widgetbox: Widgets para blogs, relacionamento de conteúdos e para diversão;
GoodWidgets: Para disposição de fotos, suporta serviços do Flickr, PhotoBucket, entre outros.
Widgetoko e Widgets Lab: Blogs sobre novidades;
Widgipedia: Enciclopédia digital sobre widgets;
Snipperoo: Ferramenta de busca por widgets;

Cada vez mais pessoas, principalmente em blogs, estão adotando esses elementos, tornando o conteúdo mais interativos e levando recursos que tanto atraem seu público como também trás facilidade no uso. Para quem algum site ou blog pessoal talvez valha a pena arriscar usa um ou mais widgets.



Humberto Zanetti - 14/03/2007
em http://wnews.uol.com.br/site/colunas/materia.php?id_secao=1&id_conteudo=373